domingo, 24 de maio de 2015

Sonhos eróticos

Achei: 
Eu sonho. Sonho muito.
E há um tipo de sonho, curiosamente, muito frequente...

Ele se aproxima. Encosta o rosto no meu pescoço e sente o cheiro dos meus cabelos. Beija três pontos diferentes das minhas costas. Meu corpo estremece. Ele passeia as mãos por elas. A febre se instala. O desate de um nó e as duas mãos enlaçam o resto do corpo. Seus lábios são macios, sua pele tem o cheiro mais primitivo dos cheiros: de homem.
O beijo é macio como o lóbulo da orelha.
A camisa foi embora e a penumbra mostrou o contorno dos grandes ombros e uma pele tão alva quanto a que possuía. Estava ruborizada. Com a força de um bárbaro, carregou-me. Vi o reflexo dos dois. Senti o gosto do pecado, gemi baixinho. Olhei para o teto e pensei "que sonho louco". Estava silêncio. Os olhos cor de avelã estavam fixos e expressavam o que poderia ser qualquer coisa ou alguma coisa. Não ouvia vozes, ninguém falava, não com palavras.
E, depois de muito, muito tempo, eu me entreguei.
...
Estávamos deitados e eu usava apenas um lençol fino. Um sorriso de canto de boca se formou.
Fechei os olhos e, agora sim, estava pronta para uma noite de sonhos.

0 comentários: