sábado, 5 de julho de 2014

Desamparo

Achei: 
O sol aparecia toda manhã, trazendo seu calor a um pequeno celeiro que ficava numa grande e bela  fazenda. Esse calor aquecia e transformava o celeiro num lugar confortável e aconchegante. Ah, como o celeiro amava aquele sol.
Um dia, o fazendeiro chegou com umas tábuas enormes e, dia após dia, tábua por tábua, o tal fazendeiro foi cobrindo a porta entrada do celeiro. 
O celeiro foi ficando, dia após dia, mais frio. Um lugar que, definitivamente, ninguém queria pisar. Por fim, o fazendeiro fechou por completo qualquer possibilidade do sol oferecer um raiozinho de luz por aquela grande entrada. E o sol? Bem, o sol não quis sequer tentar pela janela.

1 comentários:

Anônimo disse...

Curioso menina, vejo o tempo passando e voce melhora cada vez mais na sua escrita. Celeiro desamparado.
é sempre um prazer ler o que você escreve.
um beijo.