terça-feira, 2 de abril de 2013

Padrão

Achei: 
E quem disse que a vida é novidade?
...
Anos se passam, adquirimos maturidade e, até, nos tornamos mais invioláveis. Mais fortes. Será mesmo?
Frustrações, mágoas e amores não correspondidos: o enredo é o mesmo. O que muda são os personagens e a intensidade com que isso nos afeta, mas, no geral, é sempre a mesma coisa.

O pior: sofremos. Sofremos do mesmo jeito. Acontece que, com o tempo, aprendemos a lidar com essas dores. Lidar, somente. As sentimos, mas já conseguimos esconder a tristeza do rosto, segurar uma lágrima durante um almoço, sorrir quando o que queremos é nos prostrar numa cama e chorar. Perguntar “Como isso foi acontecer?!”, “Porque ele?!” “Porque comigo...?!”.

Sentimentos são jovens rebeldes e surdos.

Perceba que passamos por várias e várias vezes por problemas parecidos, dores conhecidas e, mesmo com toda a experiência que julgamos ter, não conseguimos evitá-las.

Ainda que lutemos diária e inconscientemente para negar o que, possivelmente, está nos afetando, não temos o poder supremo de controlar o que é incontrolável.

0 comentários: