quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Autodidatas

Achei: 

Não somos preparados para certas coisas.
Nunca ninguém nos disse que, em algum momento, alguém que você amava iria te decepcionar tanto, ao ponto de fazer uma incisão que perfuraria e feriria a crença, confiança e o amor que você tinha.
Ninguém nos ensinou que mesmo dando respeito, compreensão e afeto a alguém, esse alguém destruiria toda sua ingenuidade. Que acabaria com sorrisos e apagaria olhares. Conhecemos o egoísmo.
Não nos disseram que existem pessoas fúteis demais, insensíveis demais. Que simplesmente não se importam em não se importar.
Aprendemos sozinhos que dói amar. Que dói compartilhar. Que dói tentar...
Você entrega seu melhor em uma caixinha de veludo. E usam o mais afiado punhal para violá-la.
Não nos avisam que essas pessoas não trazem um aviso de perigo pendurado no peito.
E aprendemos tudo da forma mais dolorosa e que mais nos ensina.
A gente aprende.
Somos mestres em tirar ensinamentos de onde, um dia, já existiu a dor.

1 comentários:

Rodrigo Aguiar disse...

Diz o ditado que o inteligente aprende com os próprios erros. O sábio, com os erros dos outros.

Meias verdades. Há situações que precisamos passar para mudar alguns conceitos incompletos que cultivamos ao longo da vida. Quando aprendemos com o erro dos outros, adquirimos conhecimento. Mas quando o aprendizado vem de um próprio erro, um engano vivido, aí ascendemos a um outro nível.