sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O tal lance grego...

Achei: 
“- Camisa de quê?
 - Pet. Garrafa pet...
 - Ah ta.”
Foi o suficiente…

A gente não sabe quando o interesse vai surgir. Não basta ser bonito, tem que ter o negócio sabe...? A malemolência, o gingado, e, no caso em questão, o lance grego. “Grego da Grécia! Uau...”
Soma-se isso aos atributos físicos, ao sorriso largo e ao jeito de falar ‘todo todo’ o que resulta? Atração instantânea e aquela sensação no estômago de “eu preciso...”
Precisa dar certo!
“- Ah, e ele disse que vai hoje pra festa.
 - É né...”

O processo agora é de produção. Tomar banho, hidratar o corpo, perfumá-lo, por um vestido bonito, um sapato legal e o brinco emprestado, pra ver se dá sorte (na primeira vez não deu), batom, brilho e festa!!
Mas ai procura, procura e nada...
Termino por curtir o resto da festa, muito reggae e mais fotos.
Nossa última festa.
No dia seguinte vi o minhocão vazio e, mentalmente, pensei “Ahhhh...”
Pois é... mas não dá pra ficar triste pois o Olímpo trata de mandar uma forcinha... manda de lá um cupido, e devo dizer que um dos bons, ou mais precisamente uma das boas, que veio cantando e tudo, algo como ‘ensaboa mulata, ensaboooa...’. Pois bem, com a cantoria afinada a cúpida joga sua flechinha e pronto.
Pronto mesmo.
“- Linda, vem cá.”
E lá vou eu, com uma cara de paisagem, querendo me enterrar.
Papo vai, papo vem...
Mais interessante que o nome é o papo, e mais ainda é o beijo...

 E digo que depois de ser assaltada, de passar uma semana de cão em outra cidade e de dançar muito reggae, não existe melhor jeito de terminar meu último dia, do que com um beijo.

2 comentários:

Lorenna Braga disse...

hummm....
quem será esse cupido????
é dos bons...

Camila Ramos disse...

Mana, ele atende em domicílio?
ahahha